Composé

Composé Lifestyle - Arquitetura e Inspiração

Como definir o rejunte ideal para o seu porcelanato e outras dicas

Você sabia que a escolha do rejunte é tão importante quanto a escolha do revestimento? Afinal, não adianta investir em um porcelanato lindo se o acabamento final vai deixar a desejar. Além da estética, é preciso pensar também na manutenção, pois o rejunte correto garante a qualidade do revestimento por mais tempo. Como esse tema é mais técnico e exige conhecimento, nós preparamos um pequeno manual com informações importantes que irão te ajudar no momento da compra. Confira as dicas abaixo!

 

Para começar, vale lembrar que o rejunte não serve apenas para fazer um ‘arremate’ visual no revestimento. Sua função vai além: ele evita possíveis trincas e quebras, protege o acabamento contra infiltrações (em especial nos banheiros, cozinhas e áreas externas) e ainda veda os vãos para impedir o acúmulo de sujeira. Os 3 tipos de rejunte mais utilizados em projetos residenciais são o cimentício, o epóxi e o acrílico, porém também é importante levar em conta o material usado e o local de instalação do revestimento, já que cada espaço tem suas necessidades. Os porcelanatos podem ser rejuntados com o epóxi ou o acrílico, mas o cimentício não é indicado.

Antes de escolher o rejunte esteja atento a 3 fatores: a impermeabilidade, que deve ser mais alta em áreas expostas à umidade; a flexibilidade, necessária em locais com grande variação de temperatura; e a resistência às manchas, o que garante um acabamento mais bonito por mais tempo. Também vale a pena considerar a dificuldade na aplicação – em geral o rejunte epóxi é mais trabalhoso e pode deixar resíduos que danificam o revestimento, então não se arrisque com uma mão-de-obra pouco qualificada.

 

O que mais você precisa saber:

  • O rejuntamento só deve ser feito 72 horas após o assentamento do porcelanato.
  • O rejunte acrílico já vem pronto para uso, porém o rejunte epóxi deve ser misturado de acordo com as instruções do fabricante.
  • É preciso preparar a superfície com cuidado antes da aplicação. Certifique-se de que o fundo das juntas esteja livre de poeira, impurezas e restos de materiais da obra.
  • Respeite o tempo de secagem indicado pelo fabricante do produto antes de liberar o tráfego de pessoas no local.
  • Procure rejuntar toda a área de uma vez, porque as condições climáticas durante a secagem podem gerar alterações na tonalidade.
  • O rejunte epóxi seca muito rápido e pode manchar o revestimento se não for removido a tempo, então é importantíssimo limpar o local imediatamente após a aplicação – depois da secagem é quase impossível removê-lo.
  • O rejunte epóxi pode manchar superfícies mais porosas, então se você optar por esse tipo procure uma cor semelhante à do revestimento por precaução. No caso de um rejunte com tom contrastante, prefira o acrílico. 

 

Dicas de limpeza e manutenção:

  • Por mais que os rejuntes atuais possuam características que previnem a criação de fungos e manchas, é importante realizar uma limpeza frequente – semanal.
  • Caso alguma substância de difícil remoção seja derrubada sobre o rejunte, como gorduras e óleos, recomenda-se limpar na mesma hora para prevenir manchas.
  • Utilize produtos próprios para a limpeza de rejuntes e evite usar escovas abrasivas ou produtos ácidos, pois eles danificariam o material.
  • Existem algumas soluções caseiras que podem ajudar, porém não utilize essas composições sem antes testar a reação em um pequeno trecho da parede ou piso. 

 

Fonte: Biancogres