Decoração afetiva: saiba como decorar valorizando memórias

Por Compose / 05.12.2019
Decoração afetiva: saiba como decorar valorizando memórias

A função primeira de uma residência é ser o abrigo mais importante das nossas vidas. Junto a isso, é imprescindível que o arquiteto traduza em cada projeto a personalidade dos usuários, considerando suas memórias e seus afetos em uma decoração afetiva, que gere identificação profunda e instantânea entre as pessoas e os ambientes.

Objetos colecionados, fotografias, obras de arte, peças raras e até mesmo roupas são estratégias importantes para o profissional possa compor uma decoração que remeta às histórias que as pessoas carregam consigo. Os resultados podem ser encantadores e surpreendentes.

Quer conhecer mais sobre a decoração afetiva? Continue conosco e inspire-se em nossas dicas!

Entenda a proposta da decoração afetiva

decoração afetiva

Apesar de ainda ser explorada de maneira insipiente na maioria dos projetos de design e de arquitetura de interiores, sabe-se que a decoração afetiva tem uma estreita relação com o campo da psicologia. Quando o arquiteto tira partido disso, as pessoas que vão viver naqueles ambientes passam a ter, conscientemente ou não, uma nova maneira de encarar a influência que exercem sobre o espaço — e, é claro, a influência que o espaço exerce sobre cada um deles. Assim, a identificação com os elementos se torna ainda mais importante.

Nessa tendência, que aos poucos toma conta dos lares para evitar que o cotidiano acelerado torne as pessoas insensíveis às próprias raízes, as regras não são explícitas como em outros estilos. Na verdade, é o contrário: em uma decoração afetiva, o melhor é que os itens sejam pessoais, tenham significado, e a união harmônica entre eles é que vai despertar sensações e compor um décor único.

Por isso, em uma decoração afetiva, nada é utilizado por acaso ou de maneira aleatória. A escolha dos objetos e a organização dos espaços são cruciais para alcançar a atmosfera personalizada que só esse estilo decorativo pode proporcionar!

Conheça os elementos que compõem o ambiente

Qualquer elemento, dependendo de sua origem e da história que conta, pode se tornar importante em uma decoração afetiva. Entretanto, alguns objetos são mais utilizados para investir nesse estilo e acertar de primeira.

Móveis antigos

decoração afetiva

Peças de mobiliário herdados de parentes são grandes apostas para a decoração afetiva. É comum que esses móveis tenham sofrido um pouco com o uso e a passagem do tempo, mas nada que uma boa restauração não resolva! E pode ser mais simples do que se pensa: reparos como troca de estofado, puxadores, tecido ou pintura novos já fazem toda a diferença no visual de uma peça.

Assim, é possível equilibrar a história que o mobiliário carrega consigo e as adaptações de design que fazem com que ele combine mais com o que é contemporâneo e continue útil por muito mais tempo.

Imagens

decoração afetiva

Fotografias e gravuras são capazes de remeter a outras épocas com muita facilidade. Por meio delas, a qualquer momento é possível relembrar pessoas e momentos incríveis.

Composições com fotos ficam excelentes em corredores ou em uma parede de fundo para o aparador ou o sofá. Dispor delas em estantes e nichos é uma ideia mais clássica, mas que sempre funciona muito bem. Vale caprichar na escolha das molduras: metálicas, espelhadas ou em madeira, tudo depende do gosto do cliente e da criatividade!

Souvenires de viagem

Se ainda não existe uma coleção de pequenas lembranças dos lugares já visitados, é bom começar uma a partir da próxima viagem! Afinal, souvenires são alguns dos objetos que melhor se encaixam na decoração afetiva, uma vez que podem carregar consigo lembranças de histórias engraçadas ou emocionantes de onde e como foram adquiridos.

Miniaturas de edificações ou monumentos, ilustrações ou quaisquer outros tipos de souvenires que remetam com facilidade a um determinado local são muito bem-vindos.

Louças

decoração afetiva

Louças antigas, tanto em conjunto quanto em peças soltas, também representam um belo papel em uma decoração que remete a memórias e afeto.

Xícaras sem par que se transformam em vasos para cultivar temperos na cozinha, uma bandeja antiga que compõe o centro de mesa, uma jarra ou um bule que só são utilizados em ocasiões especiais. Fiquem expostas o tempo todo ou não, as louças são grandes aliadas da decoração afetiva.

Como já ressaltamos, a decoração afetiva é extremamente pessoal. Por isso, esteja aberto a aproveitar outros elementos significativos. Livros, discos de vinil, CDs, obras de arte, miniaturas de carros e outros colecionáveis são bons exemplos de objetos que podem ser ressignificados e incorporados ao visual dos ambientes, deixando de ser apenas recordações guardadas no fundo de armários.

Fonte: Biancogrês